Comprar um telescópio astronómico

Telescópio refratorSe já está familiarizado com o céu noturno, conseguindo localizar as constelações e as estrelas mais importantes, e se já passou algum tempo a observar o céu noturno com binóculos (tal como foi explicado nos artigos anteriores deste site), então provavelmente já está preparado para dar o próximo passo, e assim escolher e comprar um telescópio astronómico. Neste site estão disponíveis alguns artigos que servem de preparação para este passo e apresentam aquilo que é necessário saber antes de comprar um telescópio. Se não leu esses artigos, sugerimos que volte à página inicial e siga a sequência desses artigos: http://www.comprartelescopio.net.

Atualmente existe uma grande oferta em termos de telescópios, com grandes diferenças de qualidade que evidentemente influenciam o preço. Essa oferta pode confundir quem não possui muitos conhecimentos sobre o assunto.

Um dos principais aspetos a ter em conta na escolha do telescópio é o tamanho da abertura (tamanho da objetiva). Um dos telescópios mais populares para quem se inicia na astronomia é o telescópio refrator (luneta) com a objetiva de 60 milímetros. Para uma primeira abordagem, este tipo de telescópio proporciona algumas observações interessantes, porém é limitado para quem quiser aprofundar o estudo da astronomia. Quem compra uma luneta de 60 mm e quer mais tarde desenvolver suas observações, vai certamente sentir a necessidade de comprar um telescópio com maior abertura.

O poder de captação de luz de um telescópio reside no tamanho da sua objetiva. Esse poder de captação é proporcional ao quadrado do tamanho da referida objetiva.

Em relação à ampliação (ou amplificação) de um telescópio, esta pode ser alterada mudando a ocular. Juntamente com a compra de um telescópio é muito importante comprar pelo menos 2 ou 3 oculares para ter diferentes ampliações disponíveis. Aqui é importante referir que na prática não é possível aumentar indefinidamente a ampliação com a troca das oculares, pois a partir de determinada ampliação a qualidade da imagem cai muito e deixa de ter qualquer utilidade.

Como regra geral, podemos dizer que a ampliação máxima não deve de ultrapassar o valor correspondente ao dobro do tamanho da objetiva do telescópio, em milímetros. Para entendermos melhor, vamos ver um exemplo em concreto: imagine que possui um telescópio com uma abertura de 70 mm. Quanto é que poderá ir a ampliação nesse telescópio? Para saber a resposta, basta multiplicar por 2 o tamanho da objetiva (em milímetros), portanto: 70 x 2 = 140. Chegamos assim à conclusão que este telescópio poderá proporcionar imagens relativamente boas até uma ampliação de 140 vezes. Este não é um valor “rígido”, e claro que através desse telescópio poderemos ainda obter ampliações maiores com determinadas oculares, porém a qualidade da imagem perderá qualidade. Por isso, se alguém lhe disser que um telescópio de 70 mm pode ampliar uma imagem por 400 vezes, saiba que não é assim. Teoricamente pode aumentar 400 vezes, mas na prática a imagem será péssima e não lhe permitirá fazer qualquer observação com um mínimo de qualidade.

Para além dessa questão da ampliação, a qualidade da imagem depende de vários fatores, nomeadamente a qualidade ótica do telescópio em si e da ocular, as condições atmosféricas, e as condições de poluição luminosa.

Não vamos aqui nos debruçar quais são as melhores marcas de telescópio, pois este artigo não pretende ser exaustivo. Ao comprar um telescópio é muito importante escolher uma boa loja da especialidade, onde possa colocar todas as dúvidas que tiver, incluindo questões relacionadas com a marca. O ideal é mesmo comparar várias lojas de telescópios.

Neste ponto, depois de tudo o que falamos, que telescópio escolher?

Já nos referimos na popularidade que um telescópio refrator (luneta) de 60 mm tem entre os iniciantes. Isso deve-se muito ao baixo preço destes telescópios. Com uma luneta de 60 mm é possível ter uma boa imagem da Lua; permite ver os 4 maiores satélites ao redor do planeta Júpiter; os anéis de Saturno são também visíveis; permite ainda ver alguns dos chamados objetos do céu profundo. Permite realizar algumas observações minimamente aceitáveis, mas limitadas. Por isso, se tiver uma capacidade financeira um pouco maior, é bastante recomendável comprar um telescópio com uma abertura maior, levando ainda em conta a qualidade ótica do telescópio.

Os telescópios refletores possuem uma boa relação entre preço / abertura, e podem ser uma boa alternativa às lunetas (telescópios refratores). Dentro dos refletores, caso não esteja à procura de um telescópio com uma montagem muito elaborada, os telescópios de Dobson podem ser uma escolha. No caso dos telescópios de Dobson, o fabricante coloca o foco no tamanho da abertura, relegando para segundo plano a montagem, a parte estética e os acabamentos. Este é o tipo de telescópio com melhor relação entre preço / abertura. Porém é muito importante ter em mente que um telescópio com uma abertura significativa (por exemplo 200 mm) torna-se pesado e pode ser difícil de o deslocar. O aspeto do peso é particularmente importante caso queira com frequência deslocar o telescópio.

Depois existem ainda os telescópios catadióptricos, que são um tipo de telescópio que mistura um pouco as caraterísticas dos refratores e dos refletores.

Qual o tipo de telescópio escolher? Refrator (luneta)? Refletor? Catadióptrico? Todos eles possuem suas vantagens e desvantagens, e preços muitos diversos tendo em conta também o fabricante e o tamanho da abertura. Também cada pessoa tem um objetivo diferente ao comprar um telescópio, pois algumas pessoas querem apenas observar o básico, outras querem mesmo aprofundar o assunto. Daí cada caso é um caso diferente, como tal é importante expor suas dúvidas na loja da especialidade.

Este site tem como objetivo indicar os aspetos básicos a ter em conta à partida, mas não pretende ser exaustivo, e assim é possivel que não lhe esclareça todas as suas questões. Por isso é preciso cuidado ao escolher quem lhe vai vender o telescópio. De preferência entre em contato com várias lojas de telescópios para ter possibilidade de comparação.

Seja como for, é importante ter em mente que não deverá de comprar um telescópio com menos de 60 mm de abertura, sendo muito aconselhável que adquira um telescópio com uma abertura maior. Este é um aspeto a ser levado em conta logo à partida.

Depois de comprar o telescópio, chega a hora de procurar os mais diversos objetos celestes e observá-los!

Não é demais alertar que nunca devemos tentar olhar o Sol com um telescópio ou mesmo com binóculos sem os filtros solares apropriados. Tal causará danos irreparáveis na visão. Existem filtros solares que podem ser adquiridos numa loja da especialidade.

Para concluir este pequeno guia para iniciantes em astronomia, veja o artigo que se segue: Resumo e conclusão.